Lúpus Eritematoso Sistêmico  após infecção por Leishmaniose Visceral

 

       O Lúpus Eritematoso  Sistêmico  (LES)  e uma doença inflamatória crônica  que acomete múltiplos órgãos ou sistemas, sem  manifestação clínica patognomônica  ou teste laboratorial sensível e especifico, sendo necessária a presença  de quatro  critérios  que tem sensibilidade e especificidade de 96% porem esses critérios podem ter especificidade mais baixa em regiões endêmicas  para doenças infecciosas crônicas  como a leishmaniose visceral que apresenta  manifestações clínico-laboratoriais semelhantes.

 

      Paciente do sexo masculino,L.D.B. de 36 anos de idade inicia quadro de febre diária, vespertina, astenia, poliartralgia  simétrica,  lesões eritematosas  e pruriginosas em região torácica, anasarca  e oligúria. Realizado ECOTT evidenciando  hipocinesia difusa de VE, FE 51%, hepatoesplenomegalia na USG, e com sorologias para HIV, Hepatite. B e C, sífilis, toxoplasmose negativas, FAN 1:640, anti Ro , La ,p- ANCA e c-ANCA negativos;  laboratório  K 39 positivo.  Realizando-se mielograma , que demonstrou a presença de leishmania , iniciando tratamento especifico recebendo alta, estável  clinicamente. Procurando novamente o serviço após 14 meses, com quadro febril lesões dérmicas, rash malar, febre, edema de membros inferiores, FAN (+) 1: 320, anti DNA positivo, VHS 80 mm, proteinúria em urina de 24 hrs. 2,5 grs. CH Total 48; C3:63;  C4 8. Sendo  submetido a biopsia renal, que evidenciou  hipercelularidade  mesangial moderada, iniciando  tratamento  para LES.

 

      A forma visceral de leishmaniose  pode correlacionar-se positivamente  com a presença de anticorpos  possivelmente pelo desencadeamento de uma resposta sistêmica  predominantemente humoral, constituindo-se  em um diagnostico diferencial  obrigatório do LES, principalmente nas áreas endêmicas. Neste relato podemos evidenciar um quadro de Leishmaniose visceral   confirmado   através dos exames  necessários e com boa resposta ao tratamento, porem  cumprindo posteriormente critérios de LES quizá deflagrado  pelo quadro infeccioso inicial, chegando a sua confirmação  a traves dos critérios do ACR anticorpos (Anti DNA) que e quase exclusivo do LES porem que já foi encontrado em pacientes com  Leishmaniose visceral  (4,4%)  assim como a diminuição do complemento  que também encontra-se diminuída C3 em (17%) dos pacientes que cursam tal infecção , sendo necessária a Biopsia Renal para confirmação. De tal forma que a dificuldade diagnostica e  a investigação  cuidadosa se faz imperativa para estas duas doenças em áreas endêmicas.

 

         A forma visceral de leishmaniose constitui-se diagnostico diferencial  obrigatório do LES, principalmente nas áreas endêmicas.   por  mimetizar, exacerbar ou deflagrar o  quadro clinico do LES.